Bem-vindo: Qua, 3 de Junho 2020, 1:27 Pesquisa avançada

Descobriram uma planta que reduz malefícios da quimioterapia

Esta secção é dirigida a todo o tipo de conversas que não se enquadrem nas secções acima. São proibidas conversas com teor racista, religioso, político, pornográfico, violento entre outros semelhantes.

Descobriram uma planta que reduz malefícios da quimioterapia

Mensagempor Claudio Novais » Sex, 23 de Setembro 2011, 0:06

Alunas do Secundário descobriram planta que reduz malefícios da quimioterapia
Três alunas do Ensino Secundário descobriram uma planta que reduz a toxicidade das drogas usadas na quimioterapia. O trabalho de investigação é um dos candidatos ao prémio do Concurso Europeu de Jovens Cientistas que começa sexta-feira em Helsínquia.
O "Estudo comparativo da actividade antibacteriana, antioxidante e antimutagénica produzida por diferentes extractos de Agrimonia eupatoria L. venceu um prémio nacional e agora é um dos 87 projectos científicos a participar na 23ª Final Europeia do Concurso Europeu para Jovens Cientistas, que reúne 134 estudantes de 38 países, entre os 15 e os 20 anos.

Os vencedores só serão conhecidos na próxima terça-feira em Helsínquia, para onde viajam na próxima madrugada seis jovens portugueses. Na mala levam dois projetos científicos: um na área da Biologia e outra de Ciências Médicas.

As ex-estudantes da escola secundária de Arouca Ana Rita Sousa Rocha, Cecília Almeida Moreira e Vânia Patrícia Pinto Rocha, autoras da investigação de ciências médicas, realizaram um inquérito junto da população local e perceberam que havia uma planta referenciada como tendo efeitos anticancerígenos: a Agrimonia.

O estudo comparou a atividade antibacteriana, antioxidante e antimutagénica de infusões de Agrimonia eupatoria L. utilizada habitualmente na região de Arouca como anti-séptico, anti-inflamatório, diurético, hipoglicémico, antidiarreico e no tratamento do cancro e de inflamações das vias urinárias e da próstata.

"A planta era usada como um chá por pessoas com cancro mas apenas aqui na zona de Arouca, porque achavam que tinham efeitos anticancerígenos. Percebemos que a planta reduz a toxicidade de drogas usadas na quimioterapia. Agora precisamos saber se esta planta defende as células saudáveis ou se impede a acção tumoral", explicou Cecília Moreira, 'caloira' do curso de Medicina do Instituto Abel Salazar.

Em declarações à Lusa, a jovem investigadora reconheceu que "o estudo abre uma porta para o futuro". As três estudantes universitárias vão agora trabalhar com a Universidade Nova de Lisboa, que "deverá começar na próxima semana a fazer ensaios" com a planta.

O projecto venceu o 1º prémio do Concurso para Jovens Cientistas e Investigadores, que a Fundação da Juventude realizou em maio deste ano. O segundo prémio - "M.S.I.: Mel Sob Investigação" - também está a concurso em Helsínquia.

Da área da Biologia, o trabalho foi realizado por Beatriz Gonçalves Esteves, Daniel José Roque dos Santos e Marisa Alves Paulino.

Beatriz Esteves, 18 anos, contou à Lusa que a ideia de analisar as propriedades bioquímicas do mel surgiu porque "todas as pessoas diziam que o mel fazia bem à saúde mas não estava cientificamente explicado".

Com a ajuda de professores da escola que frequentavam - o Externato de Penafirme, em Torres Vedras, - e de professores da Universidade de Coimbra e do ISEL, os três jovens cientistas descobriram que o mel, em particular o caseiro, "apresenta capacidades antioxidante e antimicrobiana benéficas para a saúde".

Tal como as três autoras do projeto de medicina, também os responsáveis do estudo de biologia estão agora na universidade: Beatriz entrou em Engenharia Biomédica, Daniel (17 anos) em Medicina e Marisa (17 anos) está em Química Aplicada. Todos querem continuar a fazer investigação.

Além de participações internacionais em certames de alto nível científico, os prémios monetários do concurso europeu variam entre os 7500 e os 2500 euros. Este certame é realizado anualmente num país diferente da Europa.


in JN

O mais notável nisto tudo, é ter sido descoberto por alunas do secundário, com apenas 17 anos! o.0
Avatar do usuário
Claudio Novais
Editor do Ubuntued
 
Mensagens: 16869
Registrado em: 25 Maio, 2011

Re: Descobriram uma planta que reduz malefícios da quimioter

Mensagempor Miguel Fonseca » Sex, 23 de Setembro 2011, 1:26

Boas Cláudio, os meus parabéns pela descoberta do artigo e a todos esses jovens cientistas pelo excelente trabalho executado!

É bom para eles, para Portugal, mas especialmente para a Humanidade!

Nomeadamente na parte que se refere ao cancro! Tudo o que se puder fazer para erradicar ou amenizar esta doença e, é claro os efeitos nefastos do próprio tratamento é algo de louvar, aplaudir, encorajar e apoiar!

Cumps.
It is only in Love and Murder, that we still remain sincere! - Friedrich Durrenmatt
Avatar do usuário
Miguel Fonseca
Bleeding-edge Helper
 
Mensagens: 2512
Registrado em: 10 Junho, 2011

Re: Descobriram uma planta que reduz malefícios da quimioter

Mensagempor Claudio Novais » Sex, 23 de Setembro 2011, 1:33

Exatamente! Infelizmente a cada semana que passa apercebo-me que cada vez mais ha mais gente com este problema. Não sei se será o modo de vida se será a poluição, mas a verdade é que sinto que cada vez mais conheço mais gente com cancro!

Se isto for realmente algo com relevância, Portugal até pode tornar-se num exportador principal da planta o que será bom para a economia fragilizadamente-Portuguesa! :roll:
Avatar do usuário
Claudio Novais
Editor do Ubuntued
 
Mensagens: 16869
Registrado em: 25 Maio, 2011

Re: Descobriram uma planta que reduz malefícios da quimioter

Mensagempor José Craveiro » Sex, 23 de Setembro 2011, 13:28

Claudio Novais » Sex Set 23, 2011 1:33 am escreveu:
Se isto for realmente algo com relevância, Portugal até pode tornar-se num exportador principal da planta o que será bom para a economia fragilizadamente-Portuguesa! :roll:


Desde que realmente seja objecto de estudo com resultados comprovados e daí se sintetizarem as propriedades desta planta sendo depois convertidas em fármaco.
O problema é se todo esse estudo for demorado ao ponto de permitir que gigantes do mercado farmacêutico esmaguem o que consideram ser mais uma réplica da medicina popular a ser descredibilizada. grrrr
Avatar do usuário
José Craveiro
 
Mensagens: 996
Registrado em: 11 Junho, 2011
Localização: Coimbra


Voltar para Seja livre e converse! [OFF-TOPIC]

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Google [Bot] e 17 visitantes